Programa Mais Viver

 

programa mais viver: visão, missão e valoresO Tribunal de Contas do Estado do Piauí – TCE-PI, ciente do compromisso e responsabilidade institucional frente às ações sociais, envidando subsidiar os servidores quanto ao processo de aposentadoria, tendo como parâmetro a dignidade da pessoa humana, valorização, respeito e reconhecimento social pelos relevantes serviços prestados em sua trajetória profissional e pessoal, institui o Programa Mais Viver – vida plena no pós-carreira, prioritariamente, para os servidores que estejam percebendo o abono de permanência, bem como aos que já se encontram em pleno gozo da aposentadoria.

Essa iniciativa visa dar suporte à saúde física, mental e espiritual durante o referido processo, pois conforme propugna Nóvoa (2009, p.32), “o eu profissional é indissociável do eu pessoal”, uma vez que a pessoa humana é constituída dessas duas faces e, portanto, há implicações quando se encontram em dissonância, pois o ser humano durante toda a vida é preparado para sobreviver do seu trabalho e a aposentadoria, muitas vezes, rompe com esse ciclo natural. Nesse processo, passa-se para o conceito de ociosidade na cadeia produtiva da vida social, o que pode ocasionar, de forma diversa, conforme a percepção de cada indivíduo, angústias, medos e inseguranças.

O termo aposentadoria, etimologicamente significa “retirar-se aos aposentos”, ou seja, certo período de reclusão, utilizado para reflexão e tomada de decisões futuras.

Na perspectiva do Programa, o que se pretende é o rompimento com os paradigmas vigentes que, na maioria das vezes, alijam e desqualificam a continuidade do trabalho de pessoas aptas a contribuírem ainda em outras instâncias do espectro social, haja vista que a expectativa de vida vem aumentando significativamente ao longo dos anos, passando para 75,8 anos conforme dados do IBGE (2015).

convite do presidenteRessalte-se que a proposta não significa adesão à aposentadoria, mas um momento significativo de reflexão acerca de projeções futuras alicerçadas na qualidade de vida do profissional, vislumbrando a preparação e a inserção em novos projetos de vida, evitando a suscetibilidade às doenças psicossomáticas, das quais os aposentados são os mais acometidos, segundo dados da Organização Mundial de Saúde – OMS.

Reitera-se que buscar equilíbrio emocional e praticar atos que visem à preservação da saúde, em todos os seus aspectos, na nova etapa de vida é um dos objetivos primordiais do Programa Mais Viver – vida plena no pós-carreira.

Portanto, faz-se necessário compreender que a implantação do Programa Mais Viver – vida plena no pós-carreira, não é um incentivo para que o servidor se afaste da instituição, tampouco a adesão ao convite de participação implica na obrigatoriedade de inserção no processo de aposentadoria, ao contrário, o que importa é que a decisão tomada seja consciente, uma vez que é inevitável esse processo se configurar no futuro.
Assim, o ideal é que o servidor viva essa transição com a convicção de que vai desfrutar essa etapa de vida da forma mais vigorosa e ativa possível.


Vídeo de Divulgação